Decisão da prefeitura em acabar com pista de Velocross gera polêmica em Coronel Sapucaia

Nesta terça-feira (23) dos integrantes do Moto Clube se reuniram na pista com o objetivo de barrar os maquinários de trabalhar no terreno e destruir o traçado. (Fotos: Moto Clube Tal Taruga)

A decisão da prefeitura de acabar com a pista de Velocross, segundo o Moto Clube local com a possível intenção de implantar um loteamento, desagradou aos praticantes da modalidade esportiva e está gerando polêmica, em Coronel Sapucaia.

 

Construída há cerca de 20 anos, ainda na gestão do então prefeito Key Kuasne, desde este período a pista, situada na região da linha internacional, na saída para Amambai, é utilizada para treinamentos dos pilotos pratas da casa, mas também já foi palco de várias competições regionais e de nível estadual.

Segundo a direção do Moto Clube Tal Taruga, não há um termo de cedência da área para a entidade, mas desde a implantação as administrações municipais, passando pela primeira administração do hoje prefeito reeleito já para terceiro mandato, Rudi Paetzold, bem como na gestão de sua antecessora, Nilcéia  Alves de Souza, a pista sempre foi deixada aos cuidados do Moto Clube.

“Na gestão da prefeita Nilcéia a prefeitura construiu banheiros e o Moto Clube instalou rede de água e inclusive paga mensalmente a conta”, disse o presidente do Moto Clube Tal Taruga, Cristiano Carlos Guerreiro.

Segundo Cristino, a prefeitura não comunicou aos praticantes de Velocross sapucaienses sobre a desativação da pista ou sobre a destinação de outra área para a reconstrução da mesma.

Nesta terça-feira, dia 23 de novembro, praticantes da modalidade se reuniram na área da pista para impedir, pelo menos temporariamente, que o local de treinamento fosse destruído por maquinário.

Fonte: Vilson Nascimento/ Grupo A Gazeta