Trinta e quatro municípios fizeram adesão ao ‘Opera MS’ e ‘Examina MS’

Foto: DivulgaçãoO governador Reinaldo Azambuja e o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, lançaram nesta quinta-feira (2), nova etapa da Caravana da Saúde. Nessa nova fase, o Governo do Estado vai investir R$ 120 milhões nos projetos “Opera MS” e “Examina MS”, com meta de atender 70 mil procedimentos. Diferentemente da primeira edição, os pacientes serão atendidos em unidades hospitalares e clínicas médicas de todo o Estado. O lançamento aconteceu no estacionamento da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul). Os atendimentos começam já neste mês de dezembro e vão até outubro de 2022.

De acordo com a secretário de Saúde do Estado, Geraldo Resende, 39 estabelecimentos de saúde de 34 municípios aderiram ao Projeto ‘Opera MS” para a realização de 94 tipos diferentes de procedimentos cirúrgicos. Já ao Projeto “Examina MS”, 29 estabelecimentos se credenciaram para a realização de 66 tipos diferentes de exames de média e alta complexidade.

Nas quatro macrorregiões – Campo Grande, Dourados, Corumbá e Três Lagoas – há uma demanda reprimida de 12.303 cirurgias eletivas e 57.697 exames. Segundo o governador Reinaldo Azambuja, o programa será bancado integralmente com recursos próprios do Estado e não deve afetar os atendimentos de urgência e emergência na rede pública de saúde.

De janeiro de 2017 a maio de 2021 aumentou muito a espera por cirurgias eletivas. Em razão da pandemia, no ano de 2020 foram realizadas menos de 50% dos procedimentos cirúrgicos (47,8%) e 77,8% da demanda por exames. Com a regionalização do sistema de saúde, essa edição da Caravana da Saúde vai atender a população em suas próprias regiões

Na primeira fase, realizada nos anos de 2015 e 2016, o programa Caravana da Saúde teve investimentos de R$ 59 milhões. Foram realizadas 54 mil cirurgias, 100 mil consultas e 34 mil exames, alcançando 230 mil pessoas nas 11 microrregiões de Mato Grosso do Sul.

Segundo o governador Reinaldo Azambuja, a edição de uma segunda fase do programa Caravana da Saúde tem o objetivo de atender a demanda represada e fortalece a política de regionalização, ”garantindo o acesso aos serviços de saúde de forma integral e equânime” em todo o Estado. “É uma ação que tem alcance porque há também uma responsabilidade solidária dos municípios na meta de reduzir ao máximo a fila de espera por procedimentos cirúrgicos eletivos e ambulatoriais de média e alta complexidade”.

Meta de atendimentos

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado, o Programa Caravana da Saúde terá alcance sobre 34 municípios que realizarão 70 mil procedimentos cirúrgicos e exames de alta e média complexidade atendendo a população das 11 microrregiões do Estado até outubro de 2022.

A Caravana da Saúde propõe zerar as demandas reprimidas nas especialidades de cirurgias geral, ortopédica, vascular, oftalmológica, otorrinolaringologia, urológica, ginecológica e reparadora, além dos exames de ressonância magnética, tomografia computadorizada, ultrassonografia, cardiovasculares, cintilografia, endoscopia e colonoscopia. Em relação aos exames diagnósticos as maiores demandas são nas especialidades de Ressonância Magnética, Ultrassonografia, Endoscopia e Colonoscopia.

Municípios

Confira os municípios e hospitais que fizeram a adesão ao Projeto Opera MS:

Amambai (Hospital Regional de Amambai), Anastácio (Abramastácio), Aparecida do Taboado (Fundação Estatal de Saúde de Aparecida do Taboado), Aquidauana (Associação Aquidauanense de Assistência Hospitalar - Hospital Regional DR. Estácio Muniz e Associação Beneficente Ruralista Assistência Medica Hospitalar de MS ABRAMH-MS), Bataguassu (Santa Casa de Misericórdia), Bonito (Hospital Darci João Bigaton), Caarapó (Hospital Beneficente São Mateus), Camapuã (Sociedade de Proteção à Maternidade e à Infância de Camapuã), Campo Grande (Hospital São Julião, Hospital Pênfigo, Hospital AAMI, Hospital HRMS), Cassilândia (Santa Casa), Chapadão do Sul (Hospital Municipal de Chapadão do Sul), Corumbá (Santa Casa de Corumbá), Costa Rica (FHCR), Coxim (FESP), Dourados (Hospital Evangélico Dr. e Sra Goldsby King e Hospital Regional de Cirurgias da Grande Dourados), Fátima do Sul (Hospital da Sias), Iguatemi (Hospital São Judas Tadeu LTDA), Itaporã (Lourival Nascimento da Silva), Itaquiraí (Hospital São Francisco), Ivinhema (Hospital Municipal de Ivinhema), Jardim (Hospital Marechal Rondon), Maracaju (Hospital Soriano Correa da Silva), Naviraí (Hospital Municipal de Naviraí), Nova Alvorada do Sul (Hospital Municipal Francisca Ortega), Nova Andradina (Fundação de Serviços de Saúde de Nova Andradina – Hospital Regional), Paranaíba (Santa Casa), Ponta Porã (Hospital Regional DR Jose de Simone Netto), Porto Murtinho (Hospital Municipal Oscar Ramires Pereira), Ribas do Rio Pardo (Hospital Municipal 19 de Março), Santa Rita do Pardo (Unidade Mista Nossa Senhora Perpétuo Socorro), São Gabriel do Oeste (Hospital Municipal Jose Valdir Antunes de Oliveira), Sidrolândia (Hospital Dona Elmíria Silvério Barbosa), Sonora (Hospital Rachid Saldanha Derzi) e Três Lagoas (Hospital Nossa Senhora Auxiliadora). Os procedimentos podem ser conferidos aqui.

Municípios e estabelecimentos clínicos que fizeram adesão ao Projeto Examina MS:

Aparecida do Taboado (Fundação Estatal de Saúde de Aparecida do Taboado), Aquidauana (Associação Aquidauanense de Assistência Hospitalar - Hospital Regional DR. Estácio Muniz), Campo Grande (Hospital Pênfigo e Hospital HRMS), Corumbá (PRONTOCLIN – Medicina Diagnóstica LTDA, CERDILL – Centro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem e Santa Casa de Corumbá), Costa Rica (FHCR), Coxim (FESP), Dourados (Missão Caiuá, CERDILL, Clínica de Medicina e Distúrbios do Sono, Unidade de Diagnóstico por Imagem de Dourados, Hospital Evangélico Dr. e Sra Goldsby King, Hospital Regional de Cirurgias da Grande Dourados e Unidade de Diagnóstico por Imagem de Dourados), Maracaju (Hospital Soriano Correa da Silva e HCLINIC), Naviraí (Hospital Municipal de Naviraí), Serviços Cardiológicos – Vera Catarina Fuzessi Mayor Teixeira de Sá, Clínica Médica Santa Ana LTDA), Nova Alvorada do Sul (Hospital Municipal Francisca Ortega), Paranaíba (URP, Vitale Saude, Castellani, Imagem Diagnóstica, Clínica Nossa Senhora Aparecida, ECO X), Ponta Porã (Hospital Regional DR Jose de Simone Netto) e Três Lagoas (Hospital Nossa Senhora Auxiliadora).

Fonte: Edmir Conceição (Subcom), Rodson Lima (SES)