Salário dos servidores está disponível para saque e vai ajudar a movimentar o comércio do Estado

Foto: Edemir Rodrigues/arquivoO salário dos servidores públicos estaduais já está disponível para o saque. O Governo do Estado fez o depósito dos pagamentos ontem (31), para que nesta quarta-feira (01) já esteja na conta dos funcionários. Estes valores vão contribuir para movimentar o comércio nesta semana que antecede o Dia dos Namorados.

Os pagamentos foram feitos para 83 mil matrículas entre funcionários ativos e inativos, que incluem os aposentados e pensionistas. Segundo a Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização (SAD) a folha de pagamento deste mês chega a R$ 522,6 milhões, que vão ser injetados na economia do Estado.

Desde o início da sua gestão, o governador Reinaldo Azambuja paga em dia o funcionalismo público. “Aqui temos o costume de fazer o pagamento antecipado, antes do quinto dia útil, pois é importante para o servidor, que tem previsibilidade, e também para a economia, já que a folha salarial movimenta os diversos setores do Estado”, afirmou.

Compras antecipadas

Edison Araújo, presidente da Fecomercio (Foto: Divulgação)

Para a Fecomercio-MS (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do MS) esta injeção de recursos na economia vai contribuir com a compra de presentes e outros gastos em relação ao “Dia dos Namorados”, comemorado em 12 de junho.

“Neste momento, onde os empresários estão mais otimistas, pois acabamos de sair do período comemorativo do dia das mães, com a alteração do clima, trazendo um frio mais demorado e se aproximando do Dia dos Namorados, a antecipação do pagamento da folha dos servidores públicos do Estado representa uma antecipação nas vendas”, descreveu o presidente da Fecomercio, Edison Araújo.

Ele ponderou que mesmo que haja tendência dos consumidores comprarem na véspera do Dia dos Namorados, têm aqueles que vão aproveitar para antecipar as compras. “Assim aproveita para pesquisar e conseguir um melhor preço. Isso é importante, pois é moeda circulando mais tempo na economia”, completou.

Fonte: Leonardo Rocha, Subcom