Morto pelo Choque, "Bolinho" tinha passagem por tráfico de drogas

Eryckson Catani da Silva quando foi preso por tráfico em 2014. (Foto: Divulgação/BPChoque)

Morto pelo BPChoque (Batalhão de Choque da Polícia Militar) na manhã deste sábado (5), Eryckson Catani da Silva, de 31 anos, tinha passagens por tráfico de drogas em 2014. A morte aconteceu enquanto Erickson tentava fugir após assalto na Capital.

Conhecido como “Bolinho”, Eryckson foi preso em 2014 com um veículo Celta carregado de maconha na MS-289, região de Coronel Sapucaia. Durante vistoria no carro, que tinha placas do Espírito Santo, a Polícia Militar encontrou 317 quilos da droga, conforme o site Portal 27.

Aos policiais, Erickson relatou que ele e o colega, que também estava no carro, haviam sido contratados por um homem chamado “Terror” para serem batedores entre Coronel Sapucaia e Vitória. No momento da retirada do veículo, encontraram o Celta carregado com maconha e resolveram seguir com o serviço.

Durante a madrugada de hoje, Eryckson e um comparsa, que não foi identificado, assaltaram um motorista de aplicativo, de 35 anos. Conforme boletim de ocorrência, a vítima aceitou uma corrida entre os bairros Nhanhá e Maria Aparecida Pedrossian, sendo surpreendido durante o trajeto.

Após anunciarem o roubo, os ladrões ameaçaram a vítima de morte e o deixaram amarrado. Com lesões nos braços e na perna, o homem conseguiu se soltar. Eryckson e o comparsa conseguiram levar o veículo Gol da vítima e diversos objetos.

Em buscas, policiais do Choque localizaram o carro na BR-262, entrada de Terenos, e durante abordagem, Eryckson tentou fugir. De acordo com os policiais, ele passou a realizar manobras pela via e foi necessário realizar disparos para interromper a fuga.

Ainda de acordo com o Choque, Eryckson desembarcou do carro com arma em punho e atirou em direção aos militares. Em resposta, ele foi atingido por disparos dos policiais e, mesmo sendo socorrido, não resistiu.

Fonte: Aletheya Alves/ Campo Grande News