Microempresas geram mais de 3 mil empregos em MS durante o mês de agosto

Sebrae atesta que 68% dos negócios no Estado vêm das micro e pequenas empresas.

Micro e pequenas empresas retomam fôlego na geração de empregos - Foto: Arquivo Correio do EstadoAs micro e pequenas empresas sustentaram 68% dos negócios em Mato Grosso do Sul e geraram exatos 3.044 empregos com carteira assinada no Estado.

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e compilados pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de Mato Grosso do Sul.

De acordo com o Sebrae, durante o mês de agosto foram criadas um total de 4.439 vagas, das 3.044 ficaram com as micro e pequenas empresas.

Por setor, os que mais se destacaram entre os pequenos negócios para o saldo positivo foram os serviços, com 1.499 vagas; o comércio, com 669 a construção, com 459; a indústria de transformação, com 280; e agropecuária, com 101.

Quando os números mostram o resultado do acumulado do ano, o que corresponde ao período entre janeiro e agosto, foram criados um total de 38.967 postos de trabalho em Mato Grosso do Sul, dos quais 28.189 vieram das micro e pequenas empresas. 

No mesmo período, o saldo nas médias e grandes empresas foi de 8.741 vagas, e, na administração pública, 215.

O Sebrae escolheu publicar esses números na primeira semana de outubro porque nesta quarta-feira (5) é comemorado o Dia Nacional das Micro e Pequenas Empresas, que são amparadas na Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, também conhecida como Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte. 

Ela foi criada pela Lei Complementar nº 123/2006 para regulamentar o tratamento favorecido, simplificado e diferenciado aos pequenos negócios.

Os benefícios criados pela Lei Geral, a exceção do tratamento tributário diferenciado, aplicam-se também ao produtor rural pessoa física e ao agricultor familiar. 

“O Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa busca comemorar essa conquista, sensibilizando a população da importância dos pequenos negócios para a economia”, explica Tito Estanqueiro, diretor de operações do Sebrae/MS, Tito Estanqueiro.

Segundo o Sebrae Nacional, os pequenos negócios representam 98% do universo empresarial do país. 

O segmento também é responsável por 52% dos empregos gerados no Brasil e por 40% da massa salarial.

De acordo com Tito Estanqueiro, os pequenos negócios possuem uma dinâmica própria. 

Eles são, geralmente, os mais sensíveis à variação de mercado: são os primeiros a demitir, mas, também, os primeiros a recontratar quando a economia reaquece. 

“Em mais um mês, vemos isso comprovado em números, o que evidencia a importância deste segmento para a sustentação de nossa economia”, analisa o diretor de operações do Sebrae/MS, Tito Estanqueiro.

Fonte: Elias Luz/ Correio do Estado