Mato Grosso do Sul confirma 10ª vítima da dengue e supera 5,5 mil diagnósticos

Doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti matou 10 sul-mato-grossenses neste ano - Foto: Hedio Fazan/ Dourados News

Boletim epidemiológico divulgado na quarta-feira (9) pela Secretaria de Estado de Saúde confirmou o 10º óbito causado pela dengue entre sul-mato-grossenses. A mais recente vítima foi um homem de 33 anos, morador em Aparecida do Taboado. 

De acordo com o documento, essa pessoa não tinha comorbidades relatadas e começou a ter sintomas da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti no dia 20 de fevereiro. Embora a data do óbito seja 7 de março, a confirmação da causa só foi obtida em 2 de junho. 

Em todo o Mato Grosso do Sul os casos prováveis de dengue somam 11.311. Com população de 2.803.340 habitantes, o Estado tem a segunda maior incidência do país, em 403,5, classificada como alta, porque passa de 300 notificações a cada grupo de 100 mil pessoas. 

Do total de casos prováveis da doença em território sul-mato-grossense, 1,30% incidem sobre crianças menores de um ano de idade, 6,70% de um a nove anos, 14,01% de 10 a 19 anos, 21,63% de 20 a 29 anos, 19,53% de 30 a 39 anos, 16,16% de 40 a 49 anos, 11,30% de 50 a 59 anos, 6,13% de 60 a 69 anos, 2,45% de 70 a 79 anos, e 0,80% acima de 80 anos.

Já as confirmações de dengue totalizaram 5.510 na atualização mais recente das autoridades. Entre os municípios, Três Lagoas soma o maior número de diagnósticos, 1.539. Corumbá confirmou 790, Maracaju 457, Rio Brilhante 310, Campo Grande 299, Ivinhema 263, Itaquiraí 253, e Bataguassu 211. Os demais municípios confirmaram menos de 200, entre eles, Dourados, com 76.

Vítimas

A primeira vítima fatal da doença em território sul-mato-grossense foi uma mulher de 29 anos que faleceu em Corumbá no dia 15 de janeiro. Ela tinha doenças autoimunes e começou a sentir os sintomas da dengue no dia 2 daquele mesmo mês.

De Dourados, já havia sido confirmada a morte de um idoso de 66 anos, com diabetes e hipertensão. O início dos sintomas data de 25 de janeiro e a morte ocorreu no dia 29 daquele mês. 

Ainda houve a confirmação de uma vida perdida em Campo Grande. Com diabetes e hipertensão, uma idosa de 69 anos teve os primeiros sintomas de dengue em 22 de fevereiro e morreu no dia 28. 

Também foi confirmada nessa mesma data a morte de um homem de 62 anos, residente na capital, com início dos sintomas em 15 de fevereiro. Ele tinha diabetes e hipertensão, mas também foi diagnosticado com coinfecção por Covid-19. 

Outro óbito confirmado foi de uma mulher de 89 anos em Nova Alvorada do Sul. Com diabetes e hipertensão, ela teve os primeiros sintomas de dengue em 3 de março e faleceu no dia 12 daquele mesmo mês.

Já constava em divulgações anteriores da Secretaria de Estado de Saúde a vítima fatal de Três Lagoas era uma mulher de 44 anos, que começou a sentir os sintomas dia 5 de março e morreu no dia 12 daquele mês. Ela tinha diabetes hipertensão. 

Mais uma vítima fatal da dengue já confirmada anteriormente foi uma jovem de 19 anos residente em Caarapó, que faleceu em 15 de março. Sem nenhuma outra doença relatada, teve os primeiros sintomas de dengue no dia 9 daquele mês.

Outra vítima fatal da dengue em Mato Grosso do Sul era uma mulher de 33 de anos moradora em Ivinhema. Sem nenhum outro problema de saúde relatado, ela teve os primeiros sintomas em 10 de abril e morreu no dia 13 daquele mesmo mês.

Recentemente, havia sido confirmada a morte de uma mulher de 39 anos, sem comorbidades. Moradora em Dourados, ela teve os primeiros sintomas em 7 de maio e morreu no dia seguinte, 8.

Fonte: André Bento/ Douradosnews