Dia dos Pais deve movimentar mais que arrecadação de 75 das 79 cidades no Estado

Da movimentação prevista para 2019 com o Dia dos Pais, o IPF/Fecomércio-MS, aponta que 54,86% deve vir da compra de presentes, o que representa R$ 89,86 milhões. — Foto: Reprodução/TV Morena

O Dia dos Pais deve movimentar na economia de Mato Grosso do Sul em 2019 o valor de R$ 163,79 milhões, segundo levantamento do Instituto de Pesquisa da Federação do Comércio do estado (IPF/Fecomércio-MS). O valor é maior, por exemplo, do que 75 das 79 cidades sul-mato-grossenses arrecadaram com cobrança de impostos (ICMS mais tributos próprios como IPTU, ISS, ITBI e taxas) em 2017, conforme dados do governo do estado.

A movimentação estimada para a data este ano é, conforme a pesquisa, 20,38% maior do que a registrada no ano passado, que foi de R$ 136,05 milhões. Em 2019, o valor deve ficar atrás somente do obtido no Dia das Mães, R$ 192,51 milhões, e no Dia dos Namorados, R$ 174,25 milhões.

Da movimentação prevista para 2019, o IPF/Fecomércio-MS, aponta que 54,86% deve vir da compra de presentes, o que representa R$ 89,86 milhões. Esse volume de recursos é 22,30% maior do que o do ano passado, R$ 73,47 milhões.

Em relação a compra de presentes, a pesquisa indica que houve uma redução no valor que as pessoas pretendem gastar de 7,32%, da média de R$ 147,76 no ano passado para R$ 136,94 este ano. Entretanto, aumentou o percentual de entrevistados que disseram que pretendem comprar os mimos para os pais, na mesma comparação, de 41,31% para 53,54%, o que explica a previsão de uma movimentação financeira maior para 2019.

Sobre os presentes, a maior parte dos participantes da pesquisa, 39,58%, adiantou que pretendem gastar entre R$ 51 e R$ 100, e que as roupas (29,46%), perfumes e cosméticos (16,01%) e calçados (15,29%) são as principais opções.

O centro da cidade continua a ser a principal opção de compra para os presentes, de acordo com o levantamento, com 60%, mas o percentual diminuiu frente ao ano passado, quando essa era a escolha de 72%. Por outro lado, aumentou a preferência pelos shoppings de 10% em 2018 para 17% em 2019 e pelas aquisições pela internet, de 5% para 12%.

O fator chave para a compra, conforme a pesquisa, deve ser o preço (33,67%), mas também terão peso significativo o produto (32,55%) e o atendimento (20,70%). A forma de pagamento preferida é o dinheiro (43,88%). Em segundo lugar foi citado o crédito (25,42%) e em terceiro o débito (16,14%).

Os outros R$ 73,94 milhões de movimentação financeira do Dia dos Pais neste ano devem vir, conforme o levantamento, das comemorações. O valor é 18,31% maior que os R$ 62,58 milhões do ano passado e deve ser alavancado pelo incremento de 8,14% no investimento nas celebrações na comparação dos dois anos, de R$ 121,83 para R$ 131,75, e no aumento do percentual de pessoas que vão festejar a data, que subiu de 37,87% para 56,14%.

Em 2019, quase a metade dos entrevistados na pesquisa, 47%, comentaram que pretendem comemorar o Dia dos Pais em restaurantes e outros atrativos. No ano passado o índice era menor, 43%. Essa predisposição impactou diretamente na queda do percentual daqueles que pretendem festejar em casa, que retrocedeu de 47% em 2018 para 37% neste ano.

Nas comemorações, a maior parte dos participantes do levantamento, 36,51%, relatou que pretende gastar entre R$ 51 e R$ 100. Outros 30,58%, entre R$ 101 e R$ 200 e 16,69% até R$ 50.

Segundo o presidente do IPF/Fecomercio-MS, Edison Araújo, o Dia dos Pais se projeta como um importante momento para o comércio e o setor de serviços em razão da disposição do consumidor. "Notamos, inclusive, que em alguns municípios como Dourados e Ponta Porã a movimentação do Dia dos Pais vai superar a registrada no Dia das Mães".

Fonte: G1 - MS