'Defeito' de ar condicionado de posto era falta de pilha no controle

Dentre as situações encontradas pelo prefeito Marcos Trad (PSD) durante as visitas aos postos de saúde de Campo Grande a de um ar condicionado sem funcionar há 60 dias. O motivo? A falta de pilha no controle remoto do aparelho. O caso foi relatado pelo chefe do   Executivo Municipal, na manhã desta segunda-feira (25), durante entrevista ao programa Tribuna Livre.

Conforme o prefeito, o caso aconteceu na Upa Vila Almeida. O prefeito chegou ao local por volta das 15h, quando o calor estava "insuportável". Na recepção da pediatria, ele questionou o porquê de o ar condicionado estar desligado e foi informado de que o aparelho estava estragado há dois meses.

Ele perguntou se a equipe de Saúde havia sido comunicada. A gerente do local respondeu que sim e ele pediu para ver o documento, mas nada foi encontrado. O prefeito então solicitou o controle remoto do ar condicionado e os funcionários também não localizaram.

Depois de 30 minutos de procura lembraram que outro controle também funcionava com aquele aparelho. O prefeito pediu para usar, mas os comandos não funcionaram. Ele abriu a tampa localizada no verso do controle e viu que estava sem as pilhas. Após os dispositivos terem sido colocados, o ar condicionado foi ligado e funcionou normalmente.

“Sem pelo menos força de vontade para testar”, lamentou o prefeito sobre a postura de alguns funcionários do posto. Questionado sobre a possível punição neste caso, Marcos Trad disse que, “não será imediata. Vamos conversar”, finalizou.

AS VISITAS

No dia 11  de fevereiro, o prefeito Marcos Trad (PSD) apareceu de surpresa no posto de saúde do Bairro Tiradentes, para fiscalizar o atendimento. No dia 15 foi a vez do prédio localizado no Jardim Leblon e no dia 19 o Centro Regional de Saúde (CRS) do bairro Tiradentes.

Nestas ocasiões, o chefe do Executivo Municipal destacou que a iniciativa é ouvir a população e os servidores que atuam nas unidades de saúde do município, a fim de diagnosticar o que precisa ser melhorado no atendimento, tendo em vista o alto número de reclamações dos usuários.



Fonte: Correio do Estado