Com término do horário de Verão, corpo precisa de tempo e rotina para se readaptar

O horário de verão começou no dia 4 de novembro de 2018 e terminou no último domingo, 17. Esse período, que foi criado no intuito de ajudar na economia de energia, exige cuidados a mais com o corpo. Algumas pessoas têm a ideia de “ganho ou perda” de uma hora, além do relógio biológico ficar um pouco bagunçado devido às mudanças nos horários do sol durante a manhã e início da noite. 

A falta de sono pode causar déficit de atenção, concentração e reflexo. Alguns médicos alertam a respeito das preparações que se deve fazer para o corpo ter menos dificuldade em aceitar a mudança.

Cientistas dos Estados Unidos afirmam ainda, que a mudança repentina no horário aumenta em 10% a chance de ataques cardíacos. Os hormônios adenérgicos são mais liberados quando há diminuição nas horas de sono e isso pode causar espasmos na artéria do coração.



Fonte: Folha da Região