Prefeitura de Caarapó implanta coleta seletiva de lixo

Especialista em tratamento de resíduos sólidos explica sistemática da coleta seletiva de lixo a membros da comissão responsável pela implantação do projeto em Caarapó. Foto: Divulgação

A prefeitura de Caarapó dá início na próxima semana ao projeto de coleta seletiva de lixo. Antes da coleta, haverá uma campanha de orientação sobre como a população deverá proceder em relação à separação dos resíduos.

Uma comissão integrada por servidores de vários órgãos da prefeitura foi composta para coordenar o projeto, que será desenvolvido por uma cooperativa que ganhou os direitos para executar o projeto da coleta seletiva por meio de processo licitatório. A comissão será responsável por divulgar o projeto, de forma didática, em escolas e meios de comunicação. A previsão é que a coleta comece pela área central da cidade a partir do dia 15 deste mês.

Para a implantação do projeto de coleta seletiva, a cidade de Caarapó foi dividida em seis setores, com dias e horários específicos para a coleta: Setor I, com coleta de segunda a sexta-feira, a partir das 18h, envolvendo a região central e avenidas comerciais, compreendendo as seguintes áreas: Avenida Dom Pedro II (entre Rua Santa Catarina e Av. Barão do Rio Branco); Avenida Duque de Caxias (entre Rua Manuel Ferreira de Araújo e Av. Barão do Rio Branco); Avenida 15 de Novembro (entre Rua Manuel Ferreira de Araújo e Av. Barão do Rio Branco); Avenida Governador Fernando C da Costa (entre Rua Manuel Ferreira de Araújo e Rua Sergipe); Avenida Arcênio Cardoso (entre Rua Manuel Ferreira de Araújo e Av. Barão do Rio Branco); Rua Doutor Coutinho (entre Rua Manuel Ferreira de Araújo e Rua Sergipe); Rua Manuel Ferreira de Araújo (entre Av. Dom Pedro II e Rua Doutor Coutinho); Rua Tiradentes (entre Rua Dom Pedro II e Rua Doutor Coutinho); Avenida Presidente Vargas (entre Travessa das Perobas e Rua Doutor Coutinho); Avenida 7 de Setembro (entre Av. Dom Pedro II e Rua Doutor Coutinho); Avenida Barão do Rio Branco (entre Av. Dom Pedro II e Rua Doutor Coutinho).

Setor II – coleta às segundas-feiras, no período matutino, envolvendo os bairros Santa Marta I e II, Vila Flamboyant e Residencial Eliel. Setor III – coleta às terças-feiras, período matutino, nas seguintes localidades: Eco Park I e II, Vila Setenta e Bom Futuro.

Setor IV – coleta às quartas-feiras, período matutino, no Jardim Aprazível I e II e Vila Jary. Setor V – coleta às quintas-feiras, período matutino, Vila Jatobá, Jardim Capilé e Jardim Moriá. Setor VI – coleta às sextas-feiras, período matutino, nas escolas e grandes geradores de resíduos. O restante da cidade será atendido em outra etapa.

A participação da população no projeto de coleta seletiva se dará basicamente na separação do lixo seco e do lixo molhado. A população receberá um saco para acondicionar o lixo reciclável, que será coletado pelo caminhão da cooperativa nos dias indicados. O lixo doméstico convencional será recolhido normalmente pela prefeitura, conforme ocorre atualmente.

“É preciso que todos se envolvam nesse processo, em nome do meio ambiente”, defende o prefeito André Nezzi (PSDB), idealizador do projeto de coleta seletiva. “Além disso, esse processo gera renda para as pessoas envolvidas no trabalho, configurando-se um grande ganho social”, acrescenta o dirigente.

A coleta seletiva gera uma série de benefícios, conforme relata o site Pensamento Verde (pensamentoverde.com.br). Esse processo auxilia na reciclagem de diversos tipos de materiais que seriam descartados em lixões e aterros; os materiais são separados por tipos (plástico, papel, vidro, metais, orgânico, etc), sendo cada resíduo destinado a um processo independente de reciclagem; sem essa separação e coleta seletiva não é possível reciclar nenhum material que é recolhido pelo serviço de coleta de lixo urbano comum das prefeituras; todo esse processo envolve uma economia, indústrias e colaboradores são beneficiados com geração de lucro e postos de trabalho; os processos de reciclagem, de modo geral, geram novamente uma matéria-prima de qualidade para ser reutilizada e exige menos desperdício de água e energia; com os materiais recicláveis em mãos, o homem não necessita retirar recursos na natureza; a coleta seletiva ajuda a aumentar a conscientização da população em relação ao consumo sustentável e a preservação do meio ambiente; com a coleta seletiva todos os resíduos são devidamente descartados e evitam a poluição do solo e lençóis freáticos, além de evitar a poluição das ruas e esgotos que podem causar enchentes e, consequentemente, grandes prejuízos aos cofres públicos e aos moradores das cidades.

Fonte: Assessoria