Polícia apreende helicóptero com 250 quilos de cocaína carregada em Aral Moreira

Lucas Palhares, piloto e dono da aeronave. Foto: Divulgação

Chegou a 250 quilos a cocaína apreendida pela Força Tática de Nova Andradina. O carregamento estava distribuído em sete fardos avaliados em mais de R$ 7,5 milhões, transportados no helicóptero Robinson R44 II, interceptado na manhã desta quinta-feira (3), ao pousar Fazenda Garça 3 no Porto São José, no município de Batayporã. De acordo com informações do portal Jornal da Nova, toda a operação policial foi coordenada pelo capitão Nelson Vieira Tolotti, subcomandante do 8º Batalhão de Polícia Militar.

A operação que teve uma semana para levantamentos, mapeamento de local, da rotina dos envolvidos, rota e data do voo, levou a prisão em flagrante do piloto Lucas Palhares Raposo, de 33 anos, morador em Taquaritinga (SP), Marcos Lemes Marques Filho, de 20 anos, morador em Ponta Porã, Ronald Paulino Paiva, 19 anos e Ronaldo Almeida Paiva, de 38 anos, ambos moradores em Presidente Epitácio (SP), trio responsável pelo reabastecimento da aeronave.

De acordo com a polícia, o grupo realizava essas atividades ao menos três vezes na semana, com a droga saindo da região de fronteira, com destino ao Estado de São Paulo, mas antes de cruzar o Rio Paraná, era reabastecida na propriedade rural.

O helicóptero R-44 II matrícula PP-LLL, pertencente ao piloto, não podia operar como táxi aéreo e estava com toda a documentação suspensa pela ANAC desde 24 de setembro de 2020 e era procurado através de busca e apreensão.

O piloto disse aos policiais que havia carregado o entorpecente na aeronave em uma área rural do município de Aral Moreira. Já o trio de apoio em terra disse que auxiliava no abastecimento do helicóptero e confirmou que tinha conhecimento da atividade ilícita e recebiam toda semana em média R$ 500 cada para dar apoio no solo.

Perto de uma tonelada

Com a apreensão de hoje, a Força Tática totaliza cerca de 767 quilos de cocaína apreendidos em duas ações em aeronaves na região, a última em agosto do ano passado na região de Ivinhema, onde piloto e copiloto foram presos com 517,7 quilos da droga. Os quatro homens foram entregues na Polícia Civil em Batayporã, onde assinaram flagrante de tráfico de entorpecentes, com pena prevista em lei de 5 a 15 anos de prisão.

Fonte: TempoMS