Autor transforma documentos históricos em 1º livro didático de Aral Moreira

Compilação de informações, fotos e entrevistas feita por Jefferson Machado Barbosa foi inspirada em obra de Almiro Pinto Sobrinho
Jefferson nasceu em Amambai, mas passou toda a vida colegial em Aral Moreira. (Foto: Divulgação)

Fotos, documentos e depoimentos de pioneiros brasileiros, paraguaios e indígenas formam o livro “Aral Moreira: Memórias e Histórias de Nossa Gente”. A obra assinada por Jefferson Machado Barbosa é a primeira a contar a história do município situado em uma região de fronteira seca com o Paraguai. O lançamento do livro acontece na próxima quinta-feira (9).

Jefferson nasceu em Amambai, mas passou toda a vida colegial em Aral Moreira. Mestre em Letras pela UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) e doutorando em Letras pelo Programa de Pós-Graduação, stricto-sensu, em Letras da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), campus de Três Lagoas, atualmente, mora em Jardim, onde atua como docente na UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) e em uma escola estadual.

Inspirado no livro de Almiro Pinto Sobrinho sobre a cidade de Amambai, a pesquisa de Jefferson começou em 2009, quando universidade passou a investigar os fenômenos linguísticos, culturais, étnicos e identitários da região de fronteira de Aral Moreira/Brasil com a Microrregião do Departamento Santa Virgínia/Paraguai.

O livro é um presente ao município que no próximo dia 13 de maio completa 43 anos de emancipação política-administrativa.

Em 82 páginas, a obra faz um percurso histórico desde o surgimento com a região de Rio Verde do Sul à transformação em município em 1976. Os principais fatos ocorridos na história de Aral Moreira se passam em quatros momentos:

Bases teóricas ancoradas na pesquisa etnográfica; a formação da região de Rio Verde do Sul e ciclo da erva-mate, com fotos e principais personagens; a Colônia General Dutra e a Vila Fronteira Rica, com o cultivo do café e a extração da madeira e, por fim, menciona a efetivação político-administrativa da região, com Aral Moreira e a forte produção agropecuária.

Ao Lado B, Jefferson destaca que, resumidamente, a obra se trata de uma compilação de informações que até o momento estavam soltas, tais como: fotos, entrevistas e documentos oficiais. “O objetivo foi sistematizar tais informações e gerar um material didático e de apoio. A população e até as escolas eram carentes de um material como este que conta a história", destacou.

O lançamento da obra durante a 3ª Noite Literária de Aral Moreira foi um convite. Além do livro, o evento conta com várias atrações culturais, convidados especiais e exposições dos trabalhos das escolas municipais e estaduais do município.

No prefácio, Anailton Gama, que é amigo do autor, escreve: “Quem conhece Jefferson o lê em seu texto, vê sua personalidade estampada em cada vocábulo escolhido. Linguista por formação soube o autor manejar a pena com uma singularidade ímpar como quem doma o bruto cristal e o vê transformar em joia das mais preciosas”, escreveu.

Jefferson ressaltou ainda a importância de retornar à cidade. “é muito importante retornar à cidade onde estudei toda minha vida colegial, e contribuir com esta obra que, na verdade, não limita a história de Aral Moreira, tampouco captura verdade da historicidade, mas vem no sentido de levantar outros questionamentos que, aliado a este livro, podem, em grande medida, motivar outras pesquisas”, finalizou.


CG News